Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CincoLusosOceanos



Quarta-feira, 12.08.15

O NOVO PARADIGMA: A Sociedade de Bem-estar!

1A Fundo Terra Meu.png


Da estagnação actual à continuação da 3ª Revolução Industrial, e desta à Sociedade De Bem-estar!

A boa verdade é que petróleo e gás já não são as energias do futuro, mas na ciência há um espaço temporal, que medeia entre a descoberta científica e a sua aplicação tecnológica!
E, essas descobertas científicas não serão para já acessível aos emergentes, mas isso não será durante muito tempo.
O "atraso" de distribuição de conhecimento é hoje mais provocado pela cambada de imbecis "líderes", sem cultura de nenhum tipo, nem científica, nem tecnológica, nem histórica, ou até geográfica do dito 1º mundo; veja-se onde a Merkel localizou a Alemanha no mapa recentemente.
Os EUA estão por outro lado a tentar a todo o vapor recuperar a liderança científica, e no meio tempo vão entretendo a EU com uma guerra económica, que só emergiu às claras desde a criação serôdia do Euro por haver políticos apressados e sem visão nesta EU.
A queda do muro a leste proporcionava uma possível união, mas o litígio na Ucrânia, conta mais por evitar a acção de concertação entre a EU e a Rússia, do que outra coisa na actualidade. E, aqui mais uma vez os "queridos líderes" da EU são os estúpidos úteis deste jogo da guerra económica!
Os EUA estão apostados em recuperar a liderança, só que agora já não é possível voltar a ter uma hegemonia absoluta, como eram antes.
Quanto muito será entre pares, de coolíder em conjunto com a China, a Rússia e a Índia, e com o Japão e Coreia do Sul e Brasil logo a seguir, quase em segundo plano.
Austrália e Canadá vão surgir como emergentes na área científica & tecnológica também, mas serão pela sua natureza sempre da esfera de influência dos EUA.
A América do Sul surgirá como uma multicêntrica potência emergente, e terá possibilidade de funcionar como 1º celeiro, já que África, tirando Angola, Moçambique e a África do Sul, não contará para já para esse trabalho.
E, sobreposto a isto tudo, temos a luta pelas matérias-primas e os novos materiais, como as terras raras, que já deram conflito entre a China e o Japão na luta pelas jazidas do fundo do mar, perto de umas ilhas disputadas pelos dois à cabeça.
É verdade que a China é uma potência que já deixou de ser emergente, e é um player igualitário, embora ainda vá ter muitos problemas de distribuição de riqueza para uniformizar, e equidade social a atingir, mas continuará no seu trabalho de formiguinha. A China será de contar sempre, por muito que não pareça, ou melhor, por muito que façam por não parecer num futuro próximo, será sempre par entre pares, e os EUA e Rússia sabem disso!
Já a Índia terá que se uniformizar, acabando com as suas bolsas de pobreza, ou elas irão causar uma convulsão politica que poderá agudizar os conflitos internos existentes, e por isso podem ainda ficar fora da 1ª linha da corrida científica e técnica, aliás a Índia sempre correu mais pelo lado tecnológico do que pelo científico, e sendo um parceiro emergente também, é possível que tenha atrasos importantes.
A nova fronteira da 3º Revolução Industrial está hoje nas Nano Física e Nano Química e na Nano Biologia, e nas Biotecnologias, e nas Nano Tecnologias, para as quais é necessário fazer sempre um desenvolvimento cientifico longo, primeiro naquilo que antes se chamava ciência pura, isto é física e química, biologia e matemática, antes de ir para as tecnologias e suas aplicações, e isso demora tempo, estamos precisamente dentro deste gap temporal.
O salto estará aí já outra vez, mas não sem que haja muito disparate pelo meio-
A EU tem alguma frágil liderança científica, o Bosão de Higgs foi descoberto no CERN na Europa, não noutro lado, mas essa liderança é fruto do trabalho dos líderes anteriores a estes, e se vai resistir ou não, depende de conseguir substitui estes acéfalos líderes por outros, mas capazes, e já!
Veja-se o que estão a dizer os cientistas da EUA, nas palestras sobre a actual fronteira da 3ª Revolução Industrial, ao mainstream politico e social, científico e tecnológico dos EUA, exactamente o oposto que se está a dizer no dia-a-dia. O oposto do que só interessa é fazer dinheiro com aplicações imediatas da tecnologia vendável!
Tal como Al-Ghazali em 1100, andam hoje estes lideres todos a propalar as teorias erradas, só que neste caso, o único fundamentalismo é de se venderam directamente ou indirectamente ao Gangue:dos Financistas & Bankster's & Corporations S.A. e seus Pulhiticos Amestrados, que mantêm reféns as Nações, distorcendo o conhecimento e o poder a nível mundial!
Por isso propalam que se tem que trabalhar mais horas, e baixar os custo homem/hora para aumentar a produtividade!
Quando a verdade o que é importante não é o número de horas que trabalhamos, mas sim a gestão, e a organização do trabalho, e a sua qualidade, é isso que faz o valor que esse trabalho representa na estrutura de custos final, mas mesmo isso era até 1977, em 77 entrou em acção outro factor muito mais importante hoje, e que condiciona o desenvolvimento e a potência desse desenvolvimento, é ele:
A Automação & Robótica!
Com o advento da miniaturização e dos computadores de pequeno porte, toda a tecnologia da 3ª Revolução Industrial iniciada como Transístor De Estado Sólido e os Semicondutores, surgiu para além do sector militar onde já tinha aparecido nos anos 50, e veio para os sectores económicos das sociedades civis!
A Revolução da Electrónica e das Tecnologias de Informação e Comunicação, a 3ª Revolução Industrial está em marcha!
Dando origem à Automação & Robotização Industrial em larga escala, a preços baixos e comportáveis pela sociedade civil, e a partir dos anos 80 a preços mesmo muito baixos, coisa que a “velha” Automação Electromecânicas & Pneumática / Fluídica, não tinha possibilidades de fazer antes pelos custos intrínsecos dos seus próprios componentes.
É isso que vai revolucionar o futuro de tudo!
Simplificando um pouco, pode-se dizer que «a gestão, e a organização do trabalho» das linhas de produção automáticas, condicionam a própria racionalização das empresas, tornando-as mais “naturalmente eficientes”, por condicionarem tudo, pela própria natureza de construção dessas linhas de produção automática; desde os sistemas de aprovisionamento de materiais, que têm que ser mais rápidos e eficientes e económicos, e de qualidade para não pararem as linhas de produção, até à formação dos “condutores de máquinas das e nas, linhas de produção”; porque isso vai condicionar depois “a sua qualidade” de produto final, e, ao se lutar por diminuir o numero de paragens de máquina durante o tempo de trabalho, e dos turnos de produção, aumenta-se a eficiência da produção e baixa-se o custo unitário de cada unidade produzida.
Bons materiais, e boas máquinas automáticas, bem vigiadas por bom pessoal com boa formação, aumentam ainda mais a eficiência da produção, baixando o custo unitário do produto final cada vez mais, e… este custo, cada vez mais baixo é distribuído primeiro pela concepção de máquinas automáticas, cada vez, mais pequenas mais versáteis e mais eficientes, mais fáceis de serem conduzidas, e mais produtivas em unidades hora produzidas, que necessitam de pessoal mais qualificado, mais formado, e eficiente e também mais bem pago.
Tudo alarga essa cascata de eficiência à concepção e uso extensivo de linhas de automação em todos os campos da actividade produtiva, baixando cada vez mais os custos da unidade produzida. E exigindo cada vez mais eficiência de gestão e organização das empresas e do trabalho.
Se nas linhas de produção dos anos 70 não se notava uma grande redução de pessoal, nas linhas de produção dos anos 80, isso é notório, mas não generalizado, nas linhas de produção dos 90 generaliza-se a todos os sectores da actividade económica, e aí sim, o valor do trabalho humano diminui drasticamente por unidade produzida, e há dispensa de mão-de-obra não necessária, mesmo que seja qualificada!
A década seguinte é a década do triplo zero, não só no calendário, como nas Actividades Económicas, menos custos de unidade produzida, menos custos de materiais, menos mão-de-obra, e nesta mão-de-obra cada vez mais formada academicamente, mais qualificada tecnicamente e mais eficiente, e isso faz baixar ainda mais o custo da unidade produzida!
Ao mesmo tempo dá-se o declínio da natalidade! E sabemos onde estava-mos nesse domínio já em 2010, com as gerações a estarem a bordejar o declínio mas ainda perto do 1 para 1.
Então se a mão-de-obra diminuiu e baixou a natalidade as coisas deveriam ter-se equilibrado! E deveria haver zero desemprego, ou desemprego mínimo, altos salários, alta eficiência, e diminuição das horas de trabalho!
E HOUVE! SÓ QUE:
A sociedade equilibrada e altamente eficiente, tecnologicamente evoluída e de bem-estar, e baixo tempo de ocupação humana, e bem paga… FOI TRAVADA!
Simultaneamente à 3ª Revolução Industrial, surge uma outra revolução, uma Negra Revolução Neoliberal desencadeada como único fito de ganhar só para alguns os benefícios e correr com todos os outros desses benefícios!
É nisso que se insere esta corrida de mais horas de trabalho, menos pagamento pela mesma mão-de-obra qualificada!
Com o Único Fito de maximizar os benefícios e minimizar os custos, a ganância desmedida colocou tudo em roda livre numa espiral de desastre!
Mas Podemos Inverter isso, e devemos, mas como!?
Desarmante-mente simples:
1-Trabalhar melhor, usando as imensas possibilidades do que há já de robótica e automação de sistemas serviços e investigação Cientifica e técnica, mas não esquecer que isso é Para Servir o Homem e não o contrário.
2-Especular Menos, grande parte da divida é gerada pela ganância do Financismo de Casino Especulativo e seus Banksteres e Corporations e seus Pulhiticos Amestrados, pelo que é necessário controlar e regular esta gente a ferro e fogo, se for para tal necessário!
3-Repartir o acesso aos recursos essenciais, mas distribuindo a cana e não o peixe, e para isso a implementação da tríade de ouro, que é: a educação, a formação e a cultura!. É mais que urgente, é fundamental!
4-Mudar o paradigma vigente do Ter para o Ser, e voltar a ter a Ética e os Valores ao serviço do Homem, e não ao contrário.
5- Fazer isso tudo com atenção ao cuidado com a nossa casa comum: A Terra. Recuperando-a em prole da Humanidade.
6-Ter como objectivo que tudo isto visa o Bem-estar e Felicidade do Homem, visto como ser integral, mente e físico. E é o primeiro e único objectivo, e o fim ultimo da Humanidade.
E isto só se consegue com o equilíbrio entre trabalho e lazer, e não com a exclusão de nenhum deles, numa sociedade altamente eficiente, de baixa mas controlada natalidade, por forma a renovar eficientemente as gerações, com cidadãos educados e cultos, a usufruir de uma sociedade de bem-estar num new deal renovado, cuidando da nossa Terra Comum!
Continuar assim é um tremendo desperdício de recursos e vidas!
Ou Gaia, irá por a bicharada da ordem dos primatas, família hominidae, do género homo, que diz que é da espécie homo… Sapiens… Mas pouco... Na ordem!

JB

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cincolusosoceanos às 22:14


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2015

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031