Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CincoLusosOceanos



Domingo, 11.05.14

Até Que Um Dia O Céu Lhes Caia Em Cima... Outra vez!

 


Por cá têm Horror, a tudo que é militar, dizem-no as delicadas e glicosas almas; nem sabem para que servem; depois os outros vêm-nos defender, dizem!...
 
À conta de uns serôdios princípios, mal amanhados, que não defendem os nossos interesses como País, acabaram com o excelente complexo militar-industrial que tínhamos por cá, logo que puderam!

Indep, Precix, Cometna, Ironfer, Alfeite, Braço de Prata, OGMA, e os Estaleiros Navais e Industrias Complementares como a ENVC, Lisnave, Sorefame, Siderurgia, Metal etc. para só falar dos mais conhecidos!
 
Tudo fechado ou passado a patacos!
 
Com excepção da Lisnave que renasceu em Setúbal pela mão da família Melo, e bem!
 
Até o curso de Engenharia Aeronáutica do IST estiolou, assim como muitos Laboratórios Estatais e de Faculdades, que trabalhavam em desenvolvimento de novos materiais!
 
Salvou-se a nascente Universidade de Aveiro nos materiais!
 
Aproveitou-se, e, com a embalagem, já agora era melhor acabar também com a cintura industrial de Lisboa e do Porto e o sector Secundário da Economia, que era chata e estava sempre a reivindicar!
 
Tudo é chato, quando somos ignorantes, e maus gestores, ou maus economistas, ou maus financeiros, ou maus engenheiros... ou maus PM's, e acabou-se assim com os transaccionáveis, e o sector secundário... tudo por um prato de subsídios estruturais para betão e para o CCB!
 
Preferiu-se isso, em vez de se perceber para o que podia servir esses complexos industriais, os tais das cinturas industriais em volta das grandes cidades, e esse complexo industrial-militar anexo, preferiu-se acabar com tudo, não planeando programas estratégicos de continuação para a excelência, que fossem mobilizadores da Industria, e contribuíssem para alavancar o desenvolvimento futuro do País, mobilizando-o, fazendo a mudança para as Novas Tecnologias, Tecnologias de Comunicação e Computação, e para as exigentes actividades Aeroespaciais e Aeronáutica civis, Robótica Marítima, e afins:

-The New Frontier!
 
E a novel e nascente fronteira das biotecnologias e das tecnologias especiais de materiais, dos nano-materiais e as nano-biologias, e tudo o que havia de base para alavancar o seu desenvolvimento rápido e ficar logo na crista da onda estiolou. 

Sem terem a ideia que todos os projectos industriais civis têm sempre as suas aplicações militares aeronavais de ponta, que lhe são complementares, e vice-versa,  e  que isso potenciava a R&D na industria, factor que tanta falta nos têm feito!
 
Não culpem o Porter!
 
É nessa linha que se fomenta o: Aí que Horrrrorrrr, militares!
 
Dizem mais uma vez as delicadas e glicosas almas, acabe-se já com o Serviço Militar Obrigatório, os Militares não são precisos, que ainda por cima são chatos com a ética e os valores, e só gastam dinheiro!
 
Sim gastam, quando o poder não sabe para que servem, nem como podem gerar valor, e os mantêm parados, acantonados, esperando, infinitamente... esperando!
 
Fez-se assim a extinção do Serviço Militar Obrigatório... quando o que seria correcto era abri-lo a ambos os sexos por períodos curtos e repetidos, por forma a poder a partir daí recrutar os efectivos para as Policias, Bombeiros, Protecção Civil e Corpos Militares Profissionais, tais como Força Aérea, Marinha, e Tropas Especiais, por forma a recrutar os com mais vocação para estas actividade, e formar todos os outros cidadãos também em boa práticas de entreajuda, socorrismo e protecção civil básica, e cidadania com ética e valores.
 
Nem lhes importou que os países que dizem ser da sua referencia, como a Suécia e a Suíça façam isso!
 
Uí! Mas isso era muito pouco desejável, não fosse os cidadãos assim formados contestarem os poderes instalados, e a corrente voragem do corso no assalto aos bens públicos.

O mesmo poder, que não sabia para que serviam os Técnicos que existiam nos nossos Ministérios, os tais técnicos que diziam que era um disparate o que os ditos políticos estavam a fazer, e que eram considerados uns chatos... estão sempre a bloquear.

Manda-se fazer fora os estudos, já! E, zás acabaram-se com eles!
 
Desde que seja divergente da sua opinião, eles não valem nada!.

 

Mesmo que essa opinião seja normalmente assente em mitos, falácias, e dogmas ocos e bacocos, e estudos feitos nos gabinetes da moda, e lá lidos, mas sempre pagos a peso de ouro, e estranhamente, ou talvez não, sempre coincidentes com os sound bites do slogan do momento...

De facto, desde a destruição dos gabinetes de planeamento estratégico, que existiam, e sempre existiram, juntos dos nossos Ministérios, até começarem a ser desmantelados nos anos 86/89, porque alguém, que nunca se enganava e raramente tinha duvidas,  estava farto das “forças de bloqueio”, e com tal, levou à destruição das heterogéneas equipas multidisciplinares, que funcionavam como Tink Tank’s de apoio à decisão em cada ministério, até porque diziam, já não fazia sentido os “planos de fomento”, porque agora somos modernos e não é já preciso isso!

Já não se usa, é coisa do passado!

Pois!...

Depois foi o roda e bota fora, da troca dos teus pelos meus, e de seguida os estudos dos gabinetes pagos a peso de ouro, e incapazes de projectarem uma estratégia pensada, para a sustentabilidade do nosso futuro a médio e longo prazo, e muito mais permeáveis aos eternos lobbys, e muito, muito mais, promíscuos com o poder do momento, que lhes paga os estudos a realizar e os sustenta!

Lindo Não é?!

E assim se foi de ignorância em ignorância até ao desastre!

Sempre tivemos uns grandes visionários!

JB

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cincolusosoceanos às 17:27



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2014

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031